Congonhas sofrerá intervenção para manutenção de taxiways

O Aeroporto de Congonhas passará por manutenção de taxiways

   O Aeroporto de São Paulo / Congonhas passará por intervenções nos próximos dias para a realização de manutenção corretiva nos pavimentos de algumas de suas pistas de taxiamento (taxiways).

   As obras serão realizadas sob a supervisão da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), administradora do aeroporto,  entre os dias 24 de maio e 22 de junho, ocasião em que serão utilizados desvios e taxiways alternativas para o acesso às cabeceiras 35L e 17R.

   O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) tem envidado esforços para que os possíveis impactos operacionais e a diminuição ocasional da capacidade de pista do aeroporto, decorrentes destas intervenções, sejam mitigados de modo que não haja impactos na circulação aérea ou prejuízos para os usuários.

   Do mesmo modo, o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a INFRAERO, o Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP), as empresas aéreas, dentre outras organizações, estarão atuando colaborativamente em prol da garantia da fluidez, pontualidade e segurança das operações.








Anúncio publicado no Site DECEA
Assessoria de Comunicação Social do DECEA

Secretaria de Aviação Civil anuncia construção de mais um aeroporto

Aviação Civil anuncia construção de mais um aeroporto no lugar de um aeroclube

   A Secretaria Nacional de Aviação Civil anunciou que a Ariquemes (RO) vai receber um aeroporto próprio. O objetivo com a construção é que a cidade passe a receber voos comerciais de outras regiões do Brasil. O aeroporto deve ser construído no local onde hoje funciona o aeroclube da cidade e vai custar cerca de R$ 30 milhões.

   O anúncio foi feito esta pelo secretário nacional da aviação civil, Dario Rais Lopes, durante visita no aeroclube. Na ocasião, ele explicou que a obra deverá custar aproximadamente R$ 30 milhões.

   " - Ariquemes tem uma desvantagem em relação das outras cidades. Aqui nós ainda não temos as licenças ambientais. Qualquer pessoa que falar que vai mexer, vai alargar a pista ou alguma coisa rapidinho, vai estar mentindo", explica Dario.

   O complexo do novo aeroporto deve ter um terminal com 11.000 m² e terá capacidade para atender 150 mil passageiros por ano. Também será feito um pátio de aeronaves, instalações para bombeiros e comunicação aeronáutica.

   Recentemente foi finalizada uma obra de recapeamento e pintura da pista atual. Segundo o. Departamento de Estradas Rodagens (DER), a obra de balizamento noturno deve começar agora em abril.

   O diretor geral do DER, Ezequiel Neiva, disse que o balizamento na pista atual não deve ser desperdiçado quando a pista receber o alargamento anunciado pela SAC.

   " - O balizamento nós não vamos perder. A única coisa que vai ser feito com nosso balizamento quando for aumentar a pista é alargar ele. Não vamos ter prejuízo", enfatiza.

   O presidente da Associação Comercial e Industrial de Ariquemes (Acia), Francisco Hidalgo, conta que a cidade perde investimentos econômicos por não ter um aeroporto comercial. "Com a viabilidade de ida e vinda, seja de empresários ou turistas, nós vamos enriquecer muito a nossa região gerando divisas e empregos", argumenta.

   Outras obras de construção de aeroporto em Ariquemes já foram anunciadas em anos anteriores. Em janeiro de 2013 o governo do estado chegou a anunciar a construção de um novo aeroporto, mas a obra nunca aconteceu.



Foto tirada do Google Maps

Lages proíbe voo livre no Morro

Lages proíbe voo livre no Morro da Cruz por risco a Tráfego Aéreo

   Os voos de parapente estão proibidos no Morro da Cruz, em Lages. A justificativa da Defesa Civil do município é que os saltos colocam em risco o Tráfego Aéreo do Aeroporto Federal Antônio Correia Pinto de Macedo. A medida tem causado polêmica no município.

   O secretário executivo de Proteção e Defesa Civil de Lages, Jean Felipe Silva de Souza, afirma que receberam reclamações do gerente do aeroporto, de um comandante de companhia aérea e do helicóptero Águia, utilizado pela Polícia Militar, de que os voos de parapente estavam atrapalhando os pousos e decolagens na região. A instalação de uma placa  determinando a proibição dos voos livres aconteceu em fevereiro deste ano na principal rampa da cidade, no Morro da Cruz.

   — Fomos lá e interditamos, até porque não tem rampa homologada para a prática de parapente, e oferecia risco, então coube a Defesa Civil interditar — afirma Souza.

   A proibição da prática de voo livre foi baseada em parecer técnico número 67613038961 emitido pelo Comando da Aeronáutica (COMAER).

   Marcos Arruda, integrante do Clube Serrano de Voo Livre e que voa há 14 anos no município, afirma que a prática acontece há cerca de 26 anos no Morro da Cruz. Ele diz que há 15 dias enviaram um pedido de homologação da rampa e delimitação de área de voo para o Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (Cindacta II).

   — O aeroporto fica de leste a oeste e essa rampa fica a cinco quilômetros de distância e na outra direção. O pessoal não diferencia muito o paramotor do parapente. Começaram a comprar o paramotor e a voar em cima do aeroporto e acabou causando transtorno para nós — afirma Arruda, que acrescenta que são cerca de 30 pilotos cadastrados no clube.

   Ele lembra que tem dois atletas do clube que estão liderando três categorias do esporte no estadual e não têm área de treino:

   — Eles têm que sair da cidade para voar e isso impacta bastante. Além disso, é uma possibilidade de trazer turismo para a região e fazer eventos — defende.

    O Cindacta II ainda não respondeu sobre o assunto. O Processo ainda está em andamento.



Quatro Aeroportos do Brasil já foram leiloados

Os Aeroportos de Fortaleza, Porto Alegre, Florianópolis e Salvador

   Três empresas estrangeiros vão assumir as concessões dos quatro Aeroportos leiloados. O governo arrecadou R$ 3,72 bilhões com a concessão dos terminais de Porto Alegre, Salvador, Fortaleza e Florianópolis.

   O investimento mínimo projetado para os quatro aeroportos juntos é de R$ 6,61 bilhões durante o prazo de concessão, que será de 30 anos (prorrogável por mais 5) , com exceção do aeroporto de Porto Alegre, cujo prazo é de 25 anos (prorrogável por mais 5).

   A disputa foi marcada pela participação exclusiva de empresas estrangeiros, que já administram grandes aeroportos no mundo. Nos leilões anteriores, as construtoras brasileiras foram as protagonistas e levaram os contratos. Os administradores de aeroportos estrangeiros tinham parcelas minoritárias - Guarulhos, por exemplo, foi vendido para um consórcio com 90% de participação da Invepar e apenas 10% da ACSA e Viracopos era liderado pela UTC e Triunfo e a administradora tinha 10% de participação.

Veja quem foram os vencedores da 4ª rodada dos leilões de aeroportos:




   A operadora alemã Fraport venceu a disputa pelos aeroportos de Fortaleza e Porto Alegre. Ela administra aeroportos em todos os continentes: cinco na Europa - sendo um deles o de Frankfurt, um dos mais modernos do mundo -, cinco na Ásia, dois na África e um na América Latina. Eles registram tráfego anual de mais de 99 milhões de passageiros.

   Em 2013, a empresa disse que considerava adquirir participações em diversos aeroportos, inclusive terminais no Brasil, mas não conseguiu arrematar a concessão de nenhum aeroporto brasileiro no leilão feito no final daquele ano.




   A Flughafen Zürich AG arrematou o aeroporto de Florianópolis. A empresa administra o maior aeroporto da Suíça, em Zurique, e registra circulação de 25 milhões de passageiros por ano, com quase 270 mil voos ao ano e 400 mil toneladas de carga transportada. Em 2012, disputou com o grupo CCR a concessão dos aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília, mas não levou nenhum projeto.

   Em 2013, o aeroporto de Confins foi arrematado por um consórcio formado pelas empresas Companhia de Participações em Concessões CPC, que é controlada pela CCR (75%), Zurich Airport International AG (24%) e Munich Airport International Beteiligungs GMBH (1%).




   Um dos maiores grupos de construção e concessões da Europa, o francês Vinci foi o vencedor do leilão do aeroporto de Salvador. A operadora chegou a avaliar a aquisição da fatia da OAS na Invepar, dona da concessão. O grupo vem buscando oportunidades para crescer em concessões de aeroportos no Brasil e na Indonésia.

   O grupo já está presente no Brasil há pouco mais de dois anos por meio do braço de energia - a Vinci Energies, baseada no Rio de Janeiro. A filial opera com as marcas Omexom (que atua na área soluções para geração, transmissão, transformação e distribuição de energia) e Actemium (de soluções para o mercado industrial e de infraestrutura). As empresas atuam nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco.

   A companhia, que opera atualmente 35 aeroportos no mundo, também está de olho em oportunidades na Indonésia e na Índia, onde vai enviar nas próximas semanas uma oferta para a construção de novo aeroporto de Mumbai.

   A Vinci tem avançado em concessões de mercados de expansão mais acelerada e mais lucrativos, como aeroportos e rodovias fora da França, bem como em acordos de engenharia em energia, como forma de responder à fraqueza do mercado doméstico.



Comunicação por texto entre Pilotos e Controladores Aéreos

Comunicação por texto entre os Controladores Aéreo começa a se difundir

   A tecnologia da comunicação digitalizada Data Comm de próxima geração, entre os Centros de Controle do Tráfego Aéreo (ATC) está ajudando a “dar apoio à segurança de voo e reduzir atrasos nas partidas de aeronaves” no Miami International Airport, conforme relatórios do Federal Aviation Administration (FAA).

   A nova tecnologia complementa a comunicação por voz ao permitir tanto aos controladores como aos pilotos, transmitir e receber informações importantes como liberações de operação, frequências, revisão de planos de voo e avisos, via mensagens de texto ao “toque de um botão”. Uma prática mais que conhecida e utilizada por milhares de usuários de celulares, mundo afora (texting).

   Para a FAA, Data Comm ajuda a manter as aeronaves em sua posição exata “na fila de espera para a decolagem” e, inclusive, passar à frente das outras, conforme determinação do ATC. A nova modalidade de comunicação elimina virtualmente os erros cometidos pela repetição exaustiva das mensagens de voz.

   Com a adesão do ATC no Miami International, chega a 55 o número de Torres de Controle de aeroportos que operam com o Data Comm.

   A Harris Corp. que conquistou o contrato do FAA para o programa Data Comm, afirma que 23.000 voos diários já se utilizam da nova tecnologia.





Helicóptero cai em Araucária com 4 pessoas abordo

Helicóptero cai em Araucária com 4 pessoas abordo

   Um helicóptero caiu por volta das 15h15 desta sexta-feira (17) em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba. Segundo a Polícia Militar, o acidente aconteceu próximo à rotatória da PR-423 e Avenida das Nações, dos quatros abordos uma em estado grave e três com ferimentos moderados, sem risco de morte.

   A Guarda Municipal de Araucária foi a primeira a chegar no local, onde duas ambulâncias e também o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (SIATE) atenderam as vítimas rapidamente. Os helicópteros da Polícia Civil e da Polícia Militar também auxiliaram no resgate das vítimas.

   De acordo com o Capitão Nelson Stocchero, o helicóptero efetuou um pouso forçado por motivos ainda desconhecidos. “O que sabemos é que o piloto foi muito feliz porque conseguiu passar pelo meio dos postes e fios de luz, passar pela área de moradias e aterrissar na parte do canteiro. Isso evitou que o acidente fosse ainda pior”, informou.

   A identificação dos feridos não foi divulgada, mas o Corpo de Bombeiros confirmou que são quatro homens entre 30 e 40 anos. Dois deles foram encaminhados ao Hospital Nossa Senhora do Rocio, um para o Hospital Evangélico e a vítima em estado mais grave chegou inconsciente no Hospital do Trabalhador.











Ibas promove primeira feira de aviação no Brasil; Inscrições abertas

International Brazil Air Show

   O International Brazil Air Show (Ibas), primeiro evento brasileiro focado na indústria aeroespacial, está com inscrições abertas. Com data de realização marcada entre os dias 29 de março a 2 de abril, no Rio Galeão, o evento reunirá diversas atividades relacionadas aos setores aeroportuário, aeroespacial e aeronáutico – a fim de atender ao público do segmento.



   O objetivo, segundo os organizadores, será o de mostrar e trabalhar a longa tradição do País na aeronáutica além de fomentar discussões e promover negócios entre os setores envolvidos. De acordo com a Sator, que organiza o evento, a ideia é que os três primeiros dias sejam voltados para negócios e o final de semana para o público em geral.

   Site para as inscrições do evento aqui:.IBAS
(29 de Março até 02 de Abril)








A Boeing Anuncia mais um novo modelo da variante 787


Novo jato da Boeing o 787-10

   O 787-10 é planejado para ter capacidade de 330 passageiros, com alcance máximo de 11.910 km (6.430 nmi). O modelo é feito para substituir o 777-200, competir com o Airbus A350-900, segundo a Boeing, é mais eficiente que o Airbus em rotas curtas

   O mais novo modelo já tem data para o primeiro voo que vai sair este ano 2017 e a sua primeira entrega já é no ano que vem em 2018, e já tem até o momento 154 pedidos. Os clientes são United Airlines, Air France, KLM e a British Airways. Veja as seguir as fotos e o seu vídeo de lançamento.

Fotos:















Vídeo:



O voo mais longo do mundo foi inagurado

Boeing 777 da Qatar Airways ligou Doha, no Qatar, a Auckland em 16.23 horas. Foi recebido com festa no aeroporto neozelandês, com o voo mais longo do mundo

   Foram 14.535 quilômetros, quase meio mundo. O voo QR920, da Qatar Airways, foi recebido em Auckland, na Nova Zelândia, com canhões de água: eram 7.25 da manhã (18.35 horas e domingo em Portugal) e o Boeing 777-200LR acabou de inaugurar a rota que liga Doha ao norte neozelandês sem qualquer paragem.




   É o mais longo voo comercial da atualidade e proporciona um festival de números. Antes de mais, de fusos horários - foram atravessados dez. Uma eternidade que permitiu servir 1100 taças de café e chá, 2000 bebidas frias e 1036 refeições. Depois, das coisas que há para fazer em tanto tempo: ver a trilogia completa do Senhor dos Anéis e ainda sobrar espaço para esticar as pernas num passeio pela cabine, calcula a companhia aérea. Por fim, da tripulação, quatro pilotos e 15 comissários e hospedeiras.

   A nova rota comercial - cujo preço de ida e volta vai dos 1217 aos 8407 Euros - vem assim bater o recorde que era detido por outra companhia do Golfo, a Emirates, e que só foi mais curto porque o Dubai é mais perto de Auckland do que Doha. O voo inaugurou em março, cobrindo 14.200 quilômetros.

   Quanto a recordes, a ligação Doha- Auckland é a mais longa rota atualmente operada. Mas já se fez uma maior, entretanto suspensa por falta de rentabilidade: a Singapore Airlines ligava, até 2013, Singapura a Newark, na costa leste dos EUA, um voo que se estendia por 19 horas para cobrir 15.300 quilômetros. Mas era tão oneroso que só tinha primeira classe. Já o maior voo de sempre levou quase 23 horas a atravessar 21.500 quilômetros, num teste do Boeing 777-200, sem passageiros.




Aviação Brasileira já registra 14 acidentes somente este ano

Aviação Brasileira já registra 14 acidentes somente este ano

   Na aviação mundia já registra 198 Acidentes Aéreos em 2017. Segundo dados da Aviation Safety Network, Empresa que monitora o setor em todo o mundo.

   Dos 198 acidentes no mundo só no Brasil já ocorreu 14 acidentes Aéreos. Veja abaixo os 14 acidentes:

CESSNA A188B AG TRUCK (4 de Janeiro)
O Cessna 188 colidiu próximo de aterrissar em Montividiu (GO) após o piloto perder controle da aeronave em razão dos fortes ventos. O comandante sofreu pequenos ferimentos.

CESSNA 172S SKYHAWK (5 de Janeiro)
O monomotor atingiu a rede elétrica próximo do pouso em Tangará da Serra, no Mato Grosso. Dos quatro ocupantes, dois morreram e os outros dois tiveram graves ferimentos.

EMBRAER 202 IPANEMA (5 DE JANEIRO)
Um avião de pulverização agrícola caiu na cidade de Guarapuava, no Paraná. As razões do acidente são desconhecidas. Havia apenas o piloto a bordo, que sobreviveu ao choque.

AIRBUS 320 (11 DE JANEIRO)
O voo O66319 da Avianca Brasil atingiu um pássaro durante a decolagem no aeroporto de Chapecó (SC). O animal foi “engolido” por um dos motores, mas o serviço seguiu adiante. O jato voltou ao serviço dez horas depois de aterrissar em Florianópolis. Não houve registros de feridos

ROBINSON 44 (13 DE JANEIRO)
O helicóptero caiu próximo ao Rio Tietê, em Buritama, no interior de São Paulo. Não houve fatalidades no voo.

EMBRAER 201A IPANEMA (14 DE JANEIRO)
O voo ilegal acidentou o piloto na cidade de Querência (PR). Ele não foi encontrado até o momento. Segundo a imprensa local, o monomotor carregava 60 quilos de cocaína.

EMBRAER 200A IPANEMA (14 DE JANEIRO)
O avião agrícola colidiu depois que o piloto perdeu o controle do jato e morreu em Santana do Araguaia, no Pará.

ULTRALEVE (15 DE JANEIRO)
O ultraleve caiu logo após decolar na cidade de Mogi das Cruzes (SP) em decorrência da perda do desligamento do motor. Um dos ocupantes ficou gravemente ferido.

BOEING 767ER (15 DE JANEIRO)
O voo JJ8115 da Latam Airlines Brasil foi atingido por um projétil perto de pousar no aeroporto de Guarulhos (SP). A companhia aérea retornava de Barcelona. A asa esquerda do B767 foi atingida pela bala. Não houve feridos no incidente.

EMBRAER 202 IPANEMA (17 DE JANEIRO)
Na cidade de Monte do Carmo, no Tocantins, o piloto bateu a aeronave em uma árvore após perder a visibilidade em um nevoeiro. Ele sobreviveu.

BEECHCRAFT C90GT KING AIR (19 DE JANEIRO)
Após sair do Campo de Marte, em São Paulo, o avião monomotor que transportava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, o fundador do Grupo Emiliano, Carlos Alberto Figueiras, e mais três passageiros caiu nas águas de Ilha Rasa. O acidente ocorreu a dois quilômetros antes da chegada no aeroporto de Paraty. Os cinco a bordo morreram. Embora existam teorias, o motivo segue sob investigação

ROBINSON 44 (22 DE JANEIRO)
O helicóptero fazia um tour pelos rios de Rio Turno, em Minas Gerais. Logo após de iniciar o voo, caiu no rio em frente aos espectadores. A piloto e os três passageiros sobreviveram.

VAN’S RV-10 (28 DE JANEIRO)
O pequeno avião caiu e bateu no muro de uma pousada em Socorro, no interior de São Paulo. O piloto sobreviveu.

BOEING 737 (28 DE JANEIRO)
O serviço G3919 cobria a rota Rio de Janeiro-Goiânia quando a aeronave teve de retornar ao Galeão após um pássaro ser atingido pelo B737-800. Segundo depoimentos, muitos animais foram tragados por um dos motores. O retorno ao terminal foi feito cerca de 30 minutos após a saída. Não houve feridos.